Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




"A concorrência á urna era verdadeiramente extraordinaria. A certa altura apresentou-se para votar a sr.ª D. Beatriz Angelo, acompanhada de algumas senhoras. Os eleitores discordaram quanto á aceitação da lista. Por fim, a maioria entendeu que a sr.ª D. Beatriz Angelo devia votar, e a sua lista lá entrou tambem na urna ao mesmo tempo que a multidão saudava com palmas esta victoria do feminismo. O presidente saudou egualmente a primeira eleitora portuguesa , que agradeceu e declarou que se um dia for eleita saberá cumprir o seu mandato.” in A Lucta, 29/5/1911


 

Revista Ilustração Portuguesa: " Estão Eleitas as Constituintes - A Eleição em Lisboa : Uma nota curiosa das eleições foi a de votar uma senhora, a única eleitora portuguesa, a Médica D. Carolina Beatriz Ângelo, inscripta com o número 2513 na freguezia de S.Jorge de Arroyos” Na fotografia Carolina Beatriz Ângelo acompanhada por Ana de Castro Osório. 1911. Revista Ilustração Portuguesa, Joshua Benoliel

 

Carolina Beatriz Ângelo nasceu na freguesia de São Vicente, Guarda, a 16 de Abril de 1878. Médica, Republicana e Feminista, foi a primeira mulher a votar em Portugal e uma das primeiras a votar no Mundo.

Carolina viu recusada a primeira solicitação de inscrição nos cadernos eleitorais mas recorreu da decisão e, a 28 de Abril, o juiz da 1ª Vara Cível de Lisboa deu provimento à solicitação da feminista e mandou incluí-la nos cadernos eleitorais*.

A médica votou nas eleições para a Assembleia Constituinte, a 28 de Maio de 1911, na Assembleia Eleitoral de Arroios, no Clube Estefânia, em Lisboa. O voto de Carolina Beatriz Ângelo teve ecos na imprensa nacional e internacional e foi celebrado pelas sufragistas em todo o mundo.

Os Republicanos não estiveram pelos ajustes e o novo Código Eleitoral, aprovado pela Lei de  3 de Julho de 1913, já especificava com total clareza que “São eleitores de cargos legislativos e administrativos todos os cidadãos portugueses do sexo masculino”** negando explicitamente o voto às mulheres.

Em Portugal as primeiras eleições livres, com sufrágio universal, aconteceram a 25 de Abril de 1975.  

Carolina Betariz Ângelo (Cátia Rodrigues), Maria João Fagundes ( Bisneta de Carolina Beatriz Ângelo), Ana de Castro Osório (Alexandra Alves Luis) no Centenário do Voto de Carolina Beatriz Ângelo



* artigo 5.º, do decreto com força de Lei de 14 de Março de 1911: “São eleitores todos os portugueses maiores de vinte e um annos á data de 1 de maio do anno corrente, residentes em território nacional, comprehendidos em qualquer das seguintes categorias: 1.º os que souberem ler e escrever; 2.º os que forem chefes de família, entendendo-se como tal aqueles que há mais de um anno, á data do primeiro dia do recenseamento, viverem em commum com qualquer ascendente, descendente, tio, irmão ou sobrinho, ou com a sua mulher, e proverem aos encargos da família.” Carolina era viúva, médica e tinha uma filha a seu cargo.

 

** Artigo 1.º da Lei n.º 3, de 3 de Julho de 1913, estabelecendo um novo Código Eleitoral: “São eleitores de cargos legislativos e administrativos todos os cidadãos portugueses do sexo masculino, maiores de 21 anos ou que completem essa idade até o termo das operações de recenseamento, que estejam no pleno gôzo dos seus direitos civis e políticos, saibam ler e escrever português e residam no território da República Portuguesa.”  

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:40



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D



Passaram por aqui: